Saudosismo

jacques-cousteau-100610-02

 

É que eu sou velho. É só esse o problema.

Estava pensando na TV que eu levei hoje para o apartamento da minha filha e lembrei-me de como era ver televisão nos anos 60 e 70. Naquela época a TV tinha antena externa (no telhado) ou interna (em cima do aparelho). Nessa última a gente colocava Bombril para “aumentar a recepção”. Não adiantava muito: sempre tinha “fantasma”. Quando a antena era externa o pai subia no telhado (só ele podia fazer isso) e a gente botava a cabeça para fora da janela e gritava “assim, pára, não mexe!!!”. Aí ele largava a antena na posição e descia, mas os fantasmas continuavam. “Nós e o fantasma”, lembram? Carolyn Muir e capitão Daniel Gregg… ok, deixa prá lá. Vocês não eram nascidos quando eu curtia esse romance além da vida.

Havia antenas que pegavam um canal, mas os outros ficavam muito ruins. Nessa época a gente escolhia deixar a antena na posição que facilitasse a Globo, pois tinha o Jornal Nacional, as novelas e tals. Daí o locutor dizia “E agora, mais com campeão de audiência”. Claro, só podia, já que a gente deixava a antena só pra ela. As televisões da época se chamavam Philco, Telefunken (é alemã, então é boa), Zenith, Colorado RQ (o Pelé fazia a publicidade) e Admiral. Tinha outras, mas não me lembro as marcas. Tinham tubo e demoravam a esquentar por causa das válvulas, que a gente via acenderem quando olhava a TV por trás.

A queda da Globo só veio a acontecer quando lançaram no Brasil as TVs com controle remoto, com muitos anos de atraso. Diziam na época que foi a Globo quem impediu os aparelhos de terem essa facilidade, para garantir a “audiência por inércia”. Pode ser… Depois dos controles remotos ficou mais fácil escolher os canais. Lembro bem do primeiro que tivemos!! Que loucura trocar de estação sem se levantar!!

E a TV colorida? Que revolução !!! Primeiro jogo de futebol televisionado a cores no Brasil: Grêmio x Caxias, durante a festa da uva em meados dos anos 70. Ninguém tinha uma TV a cores em casa, então fui ver o jogo na vitrine de uma loja na rua da Praia. Que lindeza. Mas foi 0 x 0.

Lembro de um amigo cujo pai comprou uma televisão colorida muito antes de termos uma em nossa casa. Logo que ele ligou a TV me telefonou e falou exaltado:

– Ric, tenho uma coisa incrível pra te contar.
– Diga…
– O boné do Jacques Cousteau é vermelho.

Que emoção….

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Histórias Pessoais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s