Arquivo do mês: setembro 2017

Rocket Man

Why do american people so easily condemn Kim, the president of North Korea? Why do you think he is a “horrible dictator”? Where do you get reliable information about his behavior or his attitudes? In America’s newspapers? The same “free press” that said Iraq had “Weapons of Mass Destruction” to justify a tragic invasion? Fox News?

How many countries do you think “the crazy Kim” invaded in the last 60 years? How many bombs USA droped last year over sovereign countries? The answer to these 2 questions is “zero and 26k”. Yes… 26.000 bombs in 7 countries…. in 2016!!!!

Why a country that never posed a threat to any of its neighbors in more than six decades is a threat to world peace? Why do you think North Korea is a dangerous country for having atomic weapons but Israel is not? Analise the invasions and massacres perpetuated by Israel in Syria, Lebanon, Egypt and the genocide, ethnic cleansing and settler colonialism of Palestine and compare to North Korea and tell me who is the “evil dangerous dictator”: Kim or Netanyahu?

Remember: if North Korea didn’t have the bomb what would stop Americans to destroy this small country like they did to Japan, Lybia, Iraq, Afganistan or Syria? The bomb exists in North Korea BECAUSE of America’s imperialism.

Trump is Darth Vader and Kim is Luke Skywalker. But all you know about the possible war is from a newspaper published in the Death Star. Try thinking outside the box.

What kind of information do we have about the real life of people in North Korea? And…. by the way, what kind of freedom people have in Saudi Arabia, the dear friend of US of A? Shall we bomb the Saudis as well? How about Brazil, that is under civil dictatorship right now. Are the American government ok with that? Shall they bomb us to restore our “democracy”?

Obviously I agree with many experts that North Korea must have great problems concerning democracy. But why that specific dictatorship is a threat, and Saudi Arabia is not considered an insult to freedom os speech? And how could Cuba and North Korea have a “life of roses” with comfort and happiness while they are under a blockade by USA for decades?

My question is: why it is so easy to condemn Korea with almost NO real and reliable information about the country and why do americans treat like an enemy a country that never attacked any neighbor in six decades?

Sorry if I seem furious, but my only concern is that people in United States are being manipulated AGAIN by the media to believe that a country is a real threat to the Empire. Let me tell you something about that: this country is not North Korea. The real danger to world peace lies is a place between Canada and Mexico.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Política

Uma história curta

 

A gorda senhora entra na emergência do hospital pálida, fraca, sem quase conseguir respirar. Vinha acompanhada da filha, uma moça de rara beleza – e talvez por isso a história continue viva para mim. Esta segura as mãos sobre o peito e pede que ajudemos sua mãe,  que há muitos anos sofre do coração.

Enquanto os enfermeiros e médicos instalam oxigênio e pegam suas veias para colocar o soro a senhora me encontra com o olhar, e no meio da confusão hipóxica de seus pensamentos me pergunta afirmando: “Eu vou ficar boa, não é doutor?”.

Envaidecido por ser confundido com um médico enquanto ainda estudante eu lhe confirmo: “Pode ter certeza que sim”. Ela responde com o olhar sonolento, desfaz seu sorriso frágil, sua face perde a expressão e fecha os olhos pela última vez.

Deixe um comentário

Arquivado em Histórias Pessoais

Champagne

 

Quando a gente fica velho as coisas passam a ter um valor relativo. É mais difícil ficarmos vivamente emocionados com um show de música ou mesmo um filme, mesmo que sejam realmente bons.

Lembro do meu amigo, Major Rogério, que me contava da vez em que foi convidado a experimentar uma Champagne de uma cave exatamente dessa região região da França. O anfitrião vinha de um longa família de tradicionais vinicultores franceses na região mais famosa do mundo desse cultivo e nessa prática.

A abertura da garrafa empoeirada na adega escura e úmida foi rodeada de cerimônia.  Um ar circunspecto e solene envolvia as ações do velho champanheiro. O ambiente foi marcado pela mais austera religiosidade, e as ações eram pontuadas de rituais que confirmavam a gravidade da abertura da garrafa há tanto tempo guardada.

Ploc!! O som da rolha liberta de sua camisa de força vítrea ecoou pelos porões da mansão e liberou o gás naturalmente formado pela fermentação.  Abriu-se a caixa com as taças de cristal e o líquido borbulhante chiou em efervescência diante do seleto grupo. O contato com o sabor se fez obedecendo o protocolo mais rígido.

O major me relatou da seguinte forma sua experiência:

“Eu sequer ousava pensar o quanto custariam os poucos goles daquele líquido se houvesse eu que pagar por eles. Entretanto, o sabor foi tão diferente e tão inusitado que produziu efeitos insólitos e paradoxais. Primeiro, e mais importante, me garantiu uma memória gustativa inesquecível e perene. Tenho certeza que em meus derradeiros momentos de vida ainda terei a lembrança dessa preciosidade. Por outro lado essa experiência produziu para mim uma condenação triste e solitária: daquele dia em diante eu nunca mais fui capaz de tomar champanhe comum com o mesmo prazer e entusiasmo. A excelência daquela maravilha matou algo genuíno que eu tinha: o prazer simples das coisas comuns.”

Ficar velho e experiente lhe faz desconfiar das “novidades”. Isso é bom, mas as vezes triste.

Deixe um comentário

Arquivado em Histórias Pessoais

Justiça

 

“Temos hoje, acima de tudo, a falência do direito como elemento regulador da sociedade. Quem aceita uma justiça parcial quando lhe convém está alimentando os corvos que, no futuro, comerão seus olhos.”

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Tipos de Ultrassom

 

O ultrassom é outra novela capitalista. Existem três tipos fundamentais: ultrassons médicos, sedativos e recreativos.

Os ultrassons MÉDICOS  possuem como característica “uma pergunta, uma resposta e uma ação“, sendo esta última diretamente ligada à resposta oferecida pelo exame. São exames raramente feitos, mas são os únicos justificáveis.

Os ultrassons SEDATIVOS são subproduto da indústria do medo. As pacientes durante o pré natal são tão danificadas emocionalmente pelo modelo médico que passam a desconfiar de sua capacidade de produzir bebês saudáveis. Por esta razão, precisam de um reforço visual, uma comprovação do bem-estar fetal pela via tecnológica. As lágrimas na sala de ecografia não são – via de regra – de alegria, mas de alívio.

Os ultras sons RECREATIVOS são para olhar, espiar, socializar o bebê e para descobrir seu gênero antes do nascimento. Hoje em dia são exigidos pelas famílias como um ritual tecnológico de apropriação e introdução social do “nascituro”. Uso essa palavra controversa de propósito, exatamente porque as ecografias contribuem para a noção contemporânea do “feto como sujeito”, que tanto estrago traz às mulheres, tanto no debate sobre o direito ao aborto quanto na ocorrência de uma perda gestacional. É sabido também que tanto este tipo de ultrassom quanto o “sedativo” são incapazes de produzir melhora nos resultados perinatais.

Em verdade, as ecografias na gravidez como método de RASTREIO (em mulheres com gestações saudáveis) não oferecem nenhuma vantagem para mães e bebês do ponto de vista do decréscimo da morbi-mortalidade materna, fetal e neonatal. São “brinquedos eletrônicos” que, na imensa maioria das vezes,  não  justificam – com resultados positivos – a quantidade enorme de recursos neles aplicados.

Deixe um comentário

Arquivado em Medicina, Parto