Parto à Esquerda

bandeiravermelha3

 

As Esquerdas e a Humanização do Parto

Esta sempre me pareceu uma ótima discussão. Pelos relatos, artigos e filmes que tive conhecimento os modelos de parto nos países comunistas se baseavam em uma estrutura de autoridade, hierarquia rígida e cientificismo materialista muito fortes. Nesse contexto o afeto era algo pouco relevante, sendo considerado uma “fraqueza”. As rotinas obstétricas eram sustentadas com rigor e baseadas na otimização de pessoal e recursos, tal como em uma unidade militar. Os médicos eram os chefes supremos, com condutas e procedimentos inquestionáveis. Enfermeiras eram sargentões (muita piada se fez sobre as enfermeiras soviéticas no cinema). O modelo cubano tentou imitar ao máximo essas características.

Um parto domiciliar, que leva em consideração aspectos SUBJETIVOS da paciente, que deseja se livrar das rotinas despersonalizantes de uma maternidade, vai se posicionar na contramão do centralismo da medicina social comunista soviética. Qualquer coisa que lembre a valorização do subjetivo, do individual e de cunho pessoal será desmerecido nesse modelo.

Por isso é que o parto humanizado e domiciliar viceja nas democracias fortes e nos modelos mais liberais da Europa, como os países nórdicos e a Inglaterra. A Rússia e muitos países do leste convivem até hoje com modelos de parto muito violentos e grosseiros, onde ate a violência física contra as mulheres não é incomum. Ainda precisa haver um choque de humanização da assistência nesses locais.

No Brasil houve um movimento diferente e especial, pela conexão do parto humanizado com a contracultura hippie e – por sobre isso – uma luta dos setores mais progressistas da sociedade pela volta da democracia e o fim da ditadura. Esse caldo cultural propiciou a conexão dos humanistas (médicos, enfermeiras e outros) com as esquerdas.

Tal conexão provavelmente não ocorreu em muitos outros lugares, e nos Estados Unidos, por exemplo, tem um viés liberal e mais à direita. Em Cuba a atenção ao parto é hospitalocentrica e centrada no médico, e temas como parto domiciliar, casas de parto e parto por enfermeiras ainda estão longe de ser uma realidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Ativismo, Parto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s