Barbarismos

 

Defensores da barbárie dentro dos mais humanos e gentis projetos. Muito amor e muita sombra.

A ideia de justificar atitudes bárbaras e violentas como “reação do oprimido”, fazendo um mau uso da frase de Malcolm X, é uma proposta de acabar com qualquer projeto civilizatório em nome da institucionalização da vingança. Assim, uma camponesa aterrorizar uma mãe inglesa e seu filho e ameaçá-los de morte por um motivo fútil (não aceitar pagar o preço abusivo de um chá) passa a ser uma “bela atitude” que deveria ser seguida por todos os “povos colonizados”.

Esse tipo de lógica, que coloca o oprimido como juiz de seus sofrimentos e executor de sua sentença reparadora, misturando as dívidas sociais históricas com os embates pessoais, é carregado do mais puro oportunismo. Um elogio aos linchamentos e justiciamentos.

As pessoas que aplaudem a barbárie de ameaçar de morte uma mulher acompanhada do filho menor de idade num país inóspito são as mesmas que reclamam e vociferam quando os negros, pobres e oprimidos, a assaltam tentando por conta própria fazer uma reparação de suas dificuldades históricas e conjunturais.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Violência

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s