Doações

Há alguns anos, conversando com amigos americanos ricos, eles me contaram que a escola onde seus filhos estudam no ensino fundamental precisava de uma reforma no pátio, e para isso solicitaram aos pais da comunidade doações em dinheiro.

Depois de uma visita à escola esse casal resolveu fazer uma polpuda oferta de 60 mil dólares para a escola, para refazer o pátio de forma completa. Não apenas uma reforma, mas um novo complexo de brinquedos e estruturas de esporte para as crianças se divertirem. Ambos contaram com muito orgulho a sua participação e seu desprendimento em auxiliar a escola do bairro.

É importante frisar que o ensino fundamental nos Estados Unidos é completamente gratuito e financiado pelo Estado. Apenas 10% dos estudantes estão em escolas privadas. Do jardim de infância até o fim do “high School” o aluno não paga nada, e os impostos financiam toda a educação básica dos americanos.

Entretanto, é permitido às escolas públicas receberem dinheiro e incentivo de particulares para melhorias em suas estruturas e equipamentos de laboratório, quadras de esporte, biblioteca, piscina, etc. Você pode pagar diretamente para melhorar as condições da escola onde seus filhos estudam ou qualquer outra instituição governamental.

É aí que residem os problemas. É muito comum vermos nos filmes americanos – ou quem visita suas escolas e universidades – placas em homenagem a doadores beneméritos e filantropos que ajudam instituições de ensino com gordos auxílios monetários. Isso coloca os alunos cujos pais são doadores em posição de destaque, o que cria uma espécie de dívida com a família do doador (vide link abaixo). O próprio cinema explora isso à exaustão, na cena em que o diretor vai falar com um aluno cujo avô tem uma placa de benemérito na escola.

Mas existe um outro problema mais sutil. Como as doações privadas são direcionadas a uma escola em especial – geralmente onde os filhos estudam – é do interesse do doador que a escola do seu bairro seja de excelentes condições porque isso valoriza – e muito – o valor do seu imóvel. Uma escola de excelência na comunidade faz disparar o preço da sua casa. Para além disso, esse direcionamento da doação faz com que, no mesmo sistema público de ensino, existam escolas espetaculares e escolas miseráveis. Todas pertencem ao mesmo Estado financiador, mas com estruturas absolutamente díspares, dependendo do dinheiro que circula dentro da comunidade.

Desta forma, bairros pobres —> escolas públicas pobres; ao mesmo tempo em que bairros ricos —> escolas públicas ricas. O modelo capitalista, mesmo diante de um sistema escolar público que deveria equalizar as oportunidades, acaba reproduzindo os mesmos desvios naturais que o caracterizam, incentivando desigualdades e criando castas de estudantes por escola e por bairro.

O ingresso às universidades está relacionado com o desempenho escolar nas séries fundamentais. Quem terá mais chances de sucesso? O estudante branco com um imenso laboratório de informática e química no bairro de classe média alta ou o estudante preto e latino do subúrbio, onde os banheiros estão quebrados e a biblioteca sequer existe?

Pensem nisso quando esses políticos vierem com ideias moderninhas de misturar fundos públicos com dinheiro da iniciativa privada. Nessas combinações nunca é o pobre que se beneficia.

Leia mais aqui

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s