Objetivo

“Não acho que a luta pela humanização do nascimento e o pleno reconhecimento do protagonismo da mulher sobre seu corpo sejam ideias pelas quais devemos lutar na perspectiva de que um dia possam ser realidade, mas tão somente pela obrigação moral de lutar por algo que se alinha com os direitos humanos mais básicos – e, portanto, mais fundamentais.”

Eleanor Cartwright, “Stormy Days”, ed. Varzim, pág. 135

Deixe um comentário

Arquivado em Ativismo, Ficção

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s