Atletas cubanas

Que prezar dá ver as jogadoras cubanas vencendo a Ana Paula, mostrando que o amor daquelas pela sua pátria vale muito mais do que o amor desta pelo dinheiro. Viva Cuba!!!

Primeiro, a história de que os(as) atletas cubanos(as) querem fugir de Cuba é pura lenda urbana. Quando vejo na imprensa uma ex jogadoras de vôlei – uma mentirosa contumaz – fazendo este tipo de informação, é difícil acreditar em qualquer das suas palavras. Veja, por exemplo, a manifestação do atleta cubano Mijaín López que após vencer homenageia o grande líder Fidel Castro.

Sobre as atletas cubanas não receberem “nada”, é provavelmente outra mentira também, mas por certo as atletas de Cuba recebem uma porção muito pequena em comparação ao todo que a delegação arrecada. Afinal, quem vence é o país, e não as jogadoras. Mas isso apenas mostra a união das jogadoras em nome da sua nação. O contrário disso a gente vê na profissionalização do futebol onde os times e até as seleções são menos importantes do que o individualismo dos atletas. E quando a nossa seleção perde a primeira palavra que nos vêm à cabeça é: “mercenários”. Porque então continuamos a criticar o fervor patriótico das atletas do bloco socialista?

É curioso como o pessoal da direita reclama do amor das cubanas pelo seu país a ponto de jogarem ganhando muito pouco. O mesmo dizem dos médicos cubanos que deixam uma boa parte do que se paga pelo programa para o programa internacional de médicos de Cuba. Ao mesmo tempo que fazem essas reclamações, estes mesmos “cidadãos de bem” acham que os políticos são “ladrões” porque recebem muito dinheiro para servir a nação. Na verdade nem é tanto assim; um deputado no Brasil ganha o mesmo que um professor de escola nos Estados Unidos e a metade do que ganha um policial. E, a propósito, ser representante popular em Cuba é um serviço gratuito da cidadania; ninguém recebe para ser parlamentar.

O exemplo das cubanas ou das chinesas é marcante. Competem pelo prazer de competir e pela glória do seu país. Mais ainda: nos acostumamos no ocidente a escutar ataques a Cuba carregados do ranço mofado de ódio a Fidel, algo que as gerações dos anos 60 e 70 aprenderam com a massiva propaganda americana. Mentiras históricas sobre a “fortuna” de Fidel, a mansão onde morava, a vida nababesca da cúpula do partido, a divisão entre “partido e povo”, a fortuna da família Castro na Suíça apareceram em centenas de publicações por toda a minha infância e juventude, e só uma investigação mais apurada me ofereceu a oportunidade de ver que eram mentiras. Todavia, estas inverdades fantasiosas eram usadas apenas para que ninguém percebesse que uma vida mais digna, sem miséria, com casa para todos, sem violência urbana, com universidades e hospitais seria possível para todos na América

Isso deixa claro para mim uma verdade assombrosa: é exatamente por isso é que o embargo é realizado até hoje. O objetivo desta ação perversa do Império é sufocar o orgulho cubano e fazer com que se ajoelhem diante do poder das armas e da propaganda americanas, como nós fazemos aqui no Brasil. Você deveria ler Asterix: é a metáfora dos cubanos nos séculos XX e XXI. Ou Star Wars: os cubanos são os jedis lutando contra o Império e a Estrela da Morte. Pequenos, minúsculos e ao mesmo tempo bravos, orgulhosos e destemidos.

O que os anticomunistas teimam em não enxergar é que Cuba é uma ILHA. Uma ilha pobre e sem recursos naturais. Uma ilha que sofre um embargo HORRÍVEL e cruel há 60 anos, que a impede de florescer como poderia. É estúpido – como fazem os anticomunistas – comparar os sabonetes e os tênis Nike que usam (como símbolo de sucesso) com um país pobre como Cuba. Esta ilha é como o Estado do Amazonas no Brasil: este estado da federação é capitalista, tem mercado livre, possui iniciativa empresarial…. mas continua sendo muito pobre, com um PIB igual ao de Cuba – e infinitamente mais rico em recursos naturais e extensão. Mas, mas…. sendo tão perto de São Paulo e sendo capitalista não deveria ser rico? Porque não cobrar que o Haiti seja rico, que o México seja uma potência, que El Salvador, que Belize, que a Guatemala… que são todos países capitalistas, hispânicos, antigas colônias e…. MISERÁVEIS!!! Enquanto isso, Cuba consegue ter um PIB 8 vezes superior ao do Haiti. Por seu turno Cuba – que pelas suas características históricas e geográficas deveria ser o Haiti miserável e conturbado de hoje – consegue se sustentar exatamente pela revolução anti imperialista que a livrou da miséria que foi imposta aos seus vizinhos.

Sabe o que aconteceria com Cuba se ela se tornasse capitalista? Ela voltaria a ser o puteiro americano que já foi. Ela voltaria a testemunhar a exploração do homem pelo homem. Ela deixaria de apostar na solidariedade e união nacionais. Suas atletas – que hoje são formadas com os recursos do governo, ou seja, do povo – no capitalismo seriam enviadas (como Neymar, Ronaldos, Romários, etc.) para a Europa e seriam milionárias, enquanto seu povo de Cuba estaria novamente na miséria, contrastando com um pequeno grupo de empresários que, como antes, explorariam a mão de obra de famintos.

Não se assombre: isso acontece em TODOS os países onde o capitalismo foi implantado. Veja “Parasitas” filme coreano que aborda o tema do capitalismo e a distância entre as classes. Veja Bacurau, que trata do Imperialismo perverso a destruir nossos valores. É sempre assim. Você ficaria feliz vendo jogadoras cubanas milionárias às custas de que as crianças cubanas voltassem a viver nas sarjetas?

Por não nos impressionamos com a seleção da Guatemala? Por que ninguém fala da fantástica seleção de vôlei da Costa Rica? Ora, porque a Guatemala e Costa Rica capitalistas jamais produziram seleções espetaculares como a cubana. Mas, mas, mas…. porque não conseguiram se eram controladas pelo maravilhoso sistema capitalista?????

Responda com sinceridade: por que este modelo produz milagres em Cuba e porque o capitalismo não faz o mesmo em Belize ou na Bolívia??????

Deixe um comentário

Arquivado em Política

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s