Talibã

O filme Rambo 3 – do mega-ultra-canastrão Sylvester Stallone – foi rodado em 1988, portanto, antes do fim da União Soviética. É de longe a mais absurda de todas as aventuras desse personagem, na qual ele sozinho mata quase todo o exercito russo no Afeganistão. E o que torna esse filme ainda mais emblemático do tipo de propaganda nojenta do imperialismo é que o “John Rambo”, o Sr. Stallone, puxa o saco dos combatentes afegãos – vulgo, Talibãs – que lutam contra os “malvadinhos” soviéticos.

Sim, naquele tempo os talibãs – no idioma pachto, “estudantes” – eram “freedom fighters”, mas nos últimos 20 aos eles foram transformados pela mídia ocidental em selvagens e retrógrados. Como as coisas mudam, não?

Curiosamente, anos mais tarde o inimigo número 1 dos EUA, Osama Bin Laden, seria acusado de comandar estes mesmos esfarrapados com um exército terrorista Brancaleone contra a própria América do Norte. Mais ainda: a União Soviética desapareceu e os opressores do Afeganistão deixaram de ser os russos, e os invasores imperialistas passaram a ser… os americanos.

Agora, duas décadas e 2 trilhões de dólares depois, os Estados Unidos abandonam o Afeganistão à própria sorte. O Talibã retoma o controle do país expulsando os últimos invasores. O vexame do Vietnã se repete, e com o mesmo rastro de corrupção e destruição que o Império sempre deixa depois de arrasar os países que invade.

Deixe um comentário

Arquivado em Política

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s