O Jesus do trezoitão

É importante entender o fenômeno que se espalhou pelo Brasil a partir de meados dos anos 80 com a chegada do modelo de negócios das religiões neopentecostais ao Brasil. Trazido e disseminado pelo Pastor Edir Macedo, em pouco mais de três décadas acabou conquistando legiões de “crentes” em todo o país a ponto de exportar sua tecnologia de conversões e dízimos para países da América Latina e África, em especial. Como característica desse movimento temos a base popular (é centrada na população mais pobre e deserdada), os ataques violentos às religiões de matriz africana, a leitura acrítica e fundamentalista da Bíblia, o conservadorismo nos costumes e uma clara adoção aos partidos mais à direita – incluindo aqueles francamente fascistas. É um dos mais importantes fenômenos sociais ocorridos nos últimos anos, em função da amplitude de sua atuação em diversos setores da sociedade, em especial na política.

É também essencial não permitir que este debate seja direcionado às crenças religiosas que estas religiões pregam. Nosso país tem a liberdade de culto como preceito basilar de sua constituição, e não cabe questionar os postulados de nossas inúmeras seitas – por mais que sejam conflitantes com as nossas. Portanto, não se trata de um debate teológico, mas sociológico, que vai se ocupar com as expressões destas religiões na cultura, para além do seu catecismo. E vamos deixar bem claro que a “questão evangélica” no Brasil (e nos Estados Unidos) não se restringe à denominação protestante ou àqueles prosélitos que seguem a enorme lista de pastores milionários. Infelizmente o problema não se esgota nos malandros e televangelistas, pois vejo – com tristeza e sem surpresa – que o mesmo modelo moralista e hipócrita ocorre em quase todas as seitas ligadas ao cristianismo.

O próprio espiritismo, que se propõe mais aberto, crítico e relacionado à busca de respostas sobre a essência do universo sem desprezar a ciência, não consegue se libertar de sua origem branca, europeia e de classe média, colocando-se ao lado das forças conservadoras e reacionárias que tomaram o Brasil de assalto através de um golpe juridico-midiático. A maioria dos espíritas que conheço adotaram a lógica punitivista, conservadora e reacionária que Bolsonaro trouxe à tona, fazendo coro com a grande massa de evangélicos que engrossam o público alvo do atual mandatário da nação. Posso dizer o mesmo de muito católicos e até mesmo de umbandistas.

Por certo que a realidade dos espíritas é muito diferente daquela dos evangélicos. O espiritismo não possui rede de TV, igrejas suntuosas, “exércitos de Jesus”, milhões sendo distribuídos para pastores e dirigentes, muito menos possui uma bancada no parlamento, o que torna os evangélicos um poder político e econômico através dos inúmeros tentáculos que se espalham pela sociedade. Entretanto, a retórica dos líderes espíritas muito se aproxima do que existe de mais raso e moralista no discurso evangélico. Escutar um espírita defendendo a “família”, “a moral”, os “costumes”, ou despejando conceitos conservadores sobre a sexualidade, pouco difere do que é dito nos púlpitos das mega igrejas protestantes. Um exemplo disso é a adesão do Chico Xavier ao regime militar de 64 e o apoio explícito e público de Divaldo Franco ao lavajatismo.

A resposta para isso precisa ser corajosa. É mandatório limitar, controlar e vigiar o poder econômico e político das igrejas. É necessário impedir que estas instituições sejam locais de lavagem de dinheiro e corrupção. Junto com a “questão militar”, a “questão da mídia” e o “judiciário” os evangélicos no poder são um dilema que o Brasil laico precisará enfrentar antes que o país se torne um Evangelistão mais cruel e dogmático que sua versão do oriente. Para termos um país livre deste tipo de opressão é preciso que as religiões sejam confrontadas em sua perspectiva reacionária, preconceituosa, racista e violenta, que aceita um Deus corrompido, agressivo e vingativo e um Jesus que, “só não andava armado porque não tinha onde comprar uma pistola”.

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s