Guardarei minhas palavras aos vermes

No meu pensamento se contorcem no mínimo 5 assuntos sobre os quais gostaria de escrever. Gritam, choram, clamam por liberdade. Agora mesmo, na minha cabeça, se agitam sem descanso e a cada volta se multiplicam, mostram suas outras faces, se transmutam. Incansáveis buscam serem ouvidos e transcritos, antes que a amnésia inexorável os transforme em poeira de reminiscências. Apesar do barulho ensurdecedor que fazem eles são todos…

…. um punhado de temas proibidos. Prometi para mim mesmo que não falaria publicamente sobre esses assuntos sem a intermediação de uma xícara de café e conversaria tão somente com sujeitos cujos ouvidos sejam fortes o suficiente para suportar verdades inconvenientes e perspectivas impopulares.

Tenho umas 20 histórias que não podem ser contadas, crônicas proibidas, novelas inteiras interditadas, contos censurados, pois envolvem pessoas ainda vivas, que poderiam ficar profundamente magoadas e invadidas. Respeitosamente guardarei todas essas histórias para o túmulo, e passarei horas deliciosas contando-as para os vermes enquanto eles alegremente consomem minha carne

Publicidade

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s