Dom Giordano

Restaurante Buffet
Dom Giordano me falou que a próxima falta não será tolerada, e depois disso perderemos o direito de pedir copos limpos na hora do almoço. Ele disse também que não está bravo, e que o fato de termos repetido a sobremesa NÃO significa nenhuma represália tola, como a que você insinuou na última vez que estivemos lá. Não existe isso de cuspir no prato, que isso é uma paranóia sua, e que se alguma vez foi utilizado (se é que foi um dia utilizado) estava relacionado com pessoas absolutamente desagradáveis que entraram no restaurante cantando músicas de Agnaldo Rayol. Disse também que o fato de você ir sem camisa no restaurante também não foi o causador da sua expulsão, e que, numa próxima vez, isso pode ser contornado, desde que você não esteja usando um sutiã lilás, o que causou uma espécie de “sensação de desconforto” (palavras dele) nos clientes do buffet.

Assim sendo, em função da nossa antiga amizade e as ligações que ele tem com a nossa família (não se esqueça que durante a guerra, o pai do Dom Giordano espremeu uma espinha nas costas do nosso avô durante a batalha de Harves) ele quer passar uma borracha nos desentendimentos que ocorreram recentemente, e terá o maior prazer em nos receber de braços abertos. Espero que isso lhe sirva de estímulo para voltar a almoçar lá. Você sabe muito bem que restam poucos restaurantes no centro da cidade em que podemos entrar sem que a polícia seja acionada, e tudo isso poderia ter sido evitado não fosse a sua insistência em levar a sua rã de estimação para almoçar. Até eu achei uma demasia, mas você discutia com os gerentes de forma raivosa, e é compreensível que eles tenham se incomodado. Ok, botar os cachorros na gente foi exagero, mas não há como culpá-los. Portanto, pense bem na proposta do Dom Giordano, avise a Lúcia e vamos esquecer os problemas que tivemos no passado.

Lembre que a nossa única alternativa é o churrasquinho de gato, e ambos juramos que jamais desceríamos tanto. Conto com a sua compreensão.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Histórias Pessoais

Os comentários estão desativados.