Festa dos Identitários

Então vejamos… “Se não quer que passem a mão em você não saia de casa com vestido curto”. A tática é a mesma: transformar a vítima em algoz. Neymar sai com o tornozelo destruído, parecendo uma abóbora, mas a culpa é dele por “pegar a bola”. Sério que a perseguição ao Neymar vai chegar nesse nível? Não acredito que por posições políticas discordantes vamos fazer coro a este tipo de estultice. Não se trata de “sofrer falta”. Pelé foi caçado em 62 e 66, Neymar em 2014, o que nos fez perder a Copa. Agora foi atacado violentamente de novo. Será que isso é “mimimi“?

Tenha em mente apenas que o meu exemplo compara a lógica utilizada, não os fatos. Por isso é uma ana-logia. Faltas no futebol são diferentes de abusos contra mulheres, mas a lógica para justificá-los pode ser a mesma. Usar a ideia de que levar faltas graves e violentas é o “ônus natural de quem carrega a bola” é o mesmo que dizer que ser apalpada é o ônus natural de ser bonita e/ou provocante. Não há nada natural nestas violências e tanto as mulheres quanto os jogadores não podem ser considerados culpados pela condução da bola ou por suas formas exuberantes. A explicação do jogador rival de Neymar não convence, apenas explica a brutalidade. Da mesma forma, a explicação do abusador não me faz mudar de ideia.

Não existe nada mais direitista do que expressar ódio a um jogador da seleção durante uma copa do mundo. Eu, que não gostava muito do cara, estou virando fã. Essa exigência com o Neymar curiosamente não se aplica a outros membros da seleção, quase todos bolsonaristas, nem com outras figuras públicas. Esse tipo de perseguição sempre obedece as linhas mestras do imperialismo: destruam seus ídolos, encontrem falhas neles que possam eclipsar seus feitos e suas vitórias.

O mesmo foi feito com Lula, que de herói passou a ser tratado como “ladrão”, depois de uma intensa campanha midiática de iconoclastia. A mesma estratégia de atacar Lula por elementos alheios à política – sua vida privada – agora é usada contra outro herói, outro negro que, assim como Pelé teve sua imagem vilipendiada por fatos bem distantes do futebol. Torcer contra Neymar é fazer o jogo do Império, e nessa armadilha eu não caio.

Não dou ouvidos a fofocas de jogador. São garotos e, como eu, diziam muita bobagem antes dos 30 anos. Não o convocamos para ser professor de ética,mas para representar o futebol brasileiro. Eu não chamaria esse cara pra tomar um chimarrão na minha casa, mas apenas para representar meu país numa Copa do mundo.

E mais…. os ataques de Neymar são muito menos frequentes do que os ataques que sofre desde os 16 anos. Ele é muito mais vítima do que agressor. Vocês odeiam o Neymar porque ele é exibido e egocêntrico? Consegue imaginar que alguém que, aos 14 anos era considerado um super craque e que antes dos 30 é bilionário, não fique assim? Qual o problema disso? O que isso nos ofende? Os colegas adoram ele e não se importam com isso!!!! Por que a gente fica dodói com essas histórias???? Os jogadores estão fechados com seu amigo, e a torcida contra não ajudará a manter a União do grupo.

Força Neymar, cala boca Casagrande!!!!

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s