Arquivo da tag: Robert Gallo

Guerra ao câncer e o ufanismo médico

Essa era a guerra contra o Câncer que foi iniciada pelo governo Nixon nos anos 70. Nesta época toda a pesquisa era direcionada pela ideia de que os tumores tinham origem viral. Houve uma euforia desmedida com a possibilidade de encontrar um elemento exógeno – os vírus – que estariam na gênese dos tumores. A Revista Realidade, uma publicação importante daquela época, deu destaque a esta luta contra uma doença que parecia insuperável. Foi daí que o governo americano supriu de verbas e estímulos as pesquisas sobre vírus. Também nessa época surgiu no cenário da medicina americana uma figura que depois ficaria famosa e controversa (para o bem e para o mal): o virologista Robert Gallo. Foi ele o deflagrador da “guerra à Aids”, e sobre ele muito foi escrito e debatido.

Assim como a “guerra às drogas”, a “guerra ao terror” e a “guerra ao crime”, a “guerra ao câncer” foi um retumbante fracasso, mesmo que alguma avanços tenham sido conquistados. A doença continua a ser principal causa de morte no primeiro mundo. E não há nada no horizonte a nos mostrar que ela está para desaparecer. Pelo contrário: seus números continuam a crescer de forma assustadora. A estratégia tipicamente americana de tratar estas questões como enfrentamentos maniqueístas ao estilo “bem contra o mal” e usando vocabulário de conflito (inimigo, armas, defesas, etc.) esbarra no fato de que câncer, drogas, criminalidade e terror são produções humanas multifatoriais, e não são males em si, mas consequências quase óbvias de desajustes orgânicos e sociais que a humanidade produz.

Enquanto não for aceito que a abordagem sistêmica (o fim do capitalismo e o respeito ao meio ambiente) é a única solução para estes dilemas continuaremos a colecionar fracassos como estes.

Deixe um comentário

Arquivado em Medicina