Arquivo da tag: Marielle

Caridade

“Quero vê qual profissional da saúde que vai atender domiciliar nas favelas de suas cidades, de forma gratuita e sem infra estrutura! Mandem fotos.”

Por quê profissionais deveriam atender de graça em favelas??? Por acaso professores entram de graça em favelas para dar aula? Bombeiros apagam incêndios sem salário? Policiais garantem segurança sem pagamento? Por que tratar profissionais da saúde como vestais, infensos às necessidades humanas?

Vamos deixar bem claro: Não existe nenhuma contradição entre humanização do nascimento e qualquer recorte de classe e/ou raça. Humanização é direito humano reprodutivo e sexual para todos, e não apenas para uma parcela da população que pode pagar por estes serviços. Entretanto, também é dever do Estado, e cabe a NÓS cobrarmos que tais deveres sejam cumpridos e nossos direitos respeitados.

Médicos, parteiras ou doulas não são monges; são profissionais que devotam tempo e dinheiro nas suas formações. A falta de profissionais humanizados em áreas pobres e carentes NÃO É culpa dos raros profissionais que enfrentam suas corporações e a ignorância provinciana da nossa mídia financiada pela elite, mas do Estado frágil e dominado pelas corporações financeiras, que relega essa parcela majoritária da população carente à própria sorte.

Transferir a responsabilidade da atenção à saúde dos negros, pobres, favelados e destituídos para os profissionais não é justo ou honesto. “Saúde é um direito do povo e um dever do Estado”, como diz nossa carta, tão jovem e tão depauperada. Assim, é importante reconhecer que os bravos profissionais que enfrentam um sistema injusto e cruel deveriam ser aplaudidos, e não tratados com desdém ou desconfiança. A eles devemos o exemplo para a mudança necessária. Sua coragem e resiliência devem ser exaltadas e celebradas.

A entrada da saúde, educação, policiamento e saneamento nos bolsões de pobreza desse país jamais poderá depender de caridade, mas da ação conjunta e POLÍTICA da sociedade organizada, através da escolha de pessoas DESTAS COMUNIDADES – como Marielle!! – e destes estratos sociais para serem as dignas e legítimas representantes de suas reivindicações comuns.

Deixe um comentário

Arquivado em Ativismo, Medicina

Jesus negão

E se ele estivesse aqui?

Se hoje fosse vivo Jesus não se pareceria com o alemão de olho azul que a gente via nas igrejas. Por certo que não seria parecido com a imagem doce que dele fazemos. Mas também posso garantir que não teria votado em quem apóia tortura e também não aceitaria vendilhões do Templo falando em seu nome e cobrando dízimo. Esse não seria o mesmo jesus que pregava a justica entre os homens.

Jesus seria um negão da quebrada levando porrada de polícia e falando em nome dos pobres, das putas e da tigrada em geral. Teria ficha corrida, seria marcado pela violência policial e teria muita marca de borracha no lombo. Desempregado, aflito, esmurruga e fuma pra fugir da dor.

Quer saber? Si pá nem homem sequer seria; talvez uma mulher com filhos debaixo das asas, carregando uma casa nas costas, preta e altiva. Quem sabe se chamasse até Marielle e sua cruz seria feita de chumbo na cuca.

Em vez de manto, uma roupa rasgada, no lugar das sandalias uma havaianas com clips pra segurar as tiras, e seus parça seriam pretos pobres como ele. Sem glamour de Roliúde, sem Cecil De Mille, sem maquiagem, só sujeira mesmo.

Jesus das quebrada diria “Ceis não entenderam nada da outra vez, carai. Vão se fudê, malandro. A gente não quer migalha; a gente somos cidadão“.

Alguém duvida que seu destino seria o mesmo?

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Tripas

Durante meus 30 anos de medicina algumas pacientes me traziam à consulta uma pergunta curiosa e reveladora após uma cirurgia ginecológica abdominal: “Doutor, me conte: como estou por dentro?“. A pergunta desvelava o desejo de conhecer algo que era dela, estava dentro de si, produzia ruídos, barulhos e alguns dissabores, mas que ela não conseguia ver com clareza. Minha resposta era algo como “está tudo bem“, seguida de um sorriso.

Bolsonaro filho é o deputado mais votado da história do Brasil. Gostaria de dizer que ele foi votado desta forma apesar de ter um histórico de ameaças contra a vida de sua namorada e de inúmeras demonstrações de machismo, racismo e lgbtfobia. Entretanto, isso não é verdade; ele foi eleito PORQUE é um fascista, racista e misógino. Ele foi escolhido PORQUE disse que as mulheres de direita são mais higiênicas. Ele foi eleito desta forma consagradora PORQUE exalta a violência e as soluções simplistas para a criminalidade. Ele foi eleito PORQUE debocha do assassinato de Marielle. Ele foi eleito PORQUE é filho do homem que representa o fascismo na sua forma mais crua e corrosiva, a reprise aterradora de uma história de horror e violência

Essa eleição nos deu a oportunidade de olhar para o ventre do Brasil. Vimos a cidadania em pedaços como carne dilacerada, a humanidade escorregando pelos nossos dedos feito nossas tripas. O respeito pelo semelhante se esvaindo como o sangre escuro de uma hemorragia. Vimos também as manchas do machismo, as úlceras do desrespeito às minorias, os nódulos necrosados do racismo, as gangrenas e os infartos da exclusão e do arbítrio. O que antes estava escondido hoje fica evidente aos olhos; o paciente jaz à nossa frente, o ventre aberto e as vísceras expostas e não conseguimos conter a lágrima que escorre pela dor de tanta aflição.

O pulso ainda pulsa, o coração frágil ainda bate, a face lívida, de onde brotam dois olhos esbugalhados, nos fuzila e o paciente – entre atônito e desesperado – pergunta: “Como estou por dentro“, e só posso dizer que a nossa esperança se manterá, mesmo que este corpo se esfacele, se consuma e se despedace pelos tumores que cresceram longe dos nossos olhos. Entretanto, enquanto houver força, seguiremos com esperança; enquanto houver certeza do raiar de um novo dia lutaremos em pé.

Deixe um comentário

Arquivado em Política

Homenagens a Marielle

“As homenagens a esta mulher foram exageradas”

Sério? Por que não homenagear Marielle??

Negra, moradora da favela da Maré, homossexual, mãe, socióloga e defensora dos direitos humanos cruelmente assassinada por defender a população vítima da brutalidade policial!!! Quem merece homenagens nessa sociedade? Jogadores de futebol? Políticos burgueses da Zona Sul? Cantores de axé? Sertanejo? Artistas da Globo?

Marielle era uma verdadeira heroína, uma batalhadora contra a injustiça social e a barbárie. Mereceu tudo que recebeu de homenagens, e espero que seu nome não seja jamais esquecido. Marielle sintetiza a bravura e a coragem de quem nunca se calará.

Deixe um comentário

Arquivado em Política, Violência